DestaqueMotociclistas juntam-se para manifesto contra as inspeções às motos

Motociclistas juntam-se para manifesto contra as inspeções às motos

Relacionados

Lousada: Homem morre após ser atingido por estrutura metálica

Um homem de 28 anos morreu, na tarde da passada terça-feira, dia 9 de julho, depois de ser atingido na cabeça por uma estrutura...

Paredes: Homem morre após ser atropelado

Um homem, de 70 anos, morreu, na passada sexta-feira, dia 5 de julho, após ter sido atropelado por um automóvel na Avenida da República,...

Penafiel: Homem é detido por violência doméstica e violação

A Polícia Judiciária deteve um homem de 54 anos suspeito de violência doméstica e de violação sobre a mulher há mais de um ano...

O Grupo de Ação Motociclista emitiu um comunicado onde dá voz às várias razões para o protesto nacional, agendado para 16 de outubro, contra as inspeções às motos em 2022.

A par dos argumentos que defendem numa nota enviada à imprensa, anexam um “Manifesto Motociclista contra a farsa das inspeções às motos”, convidando todos a lerem atentamente porque “os utentes das estradas são tratados como um negócio que se procura rentabilizar. O interesse económico continua a prevalecer face à prevenção da sinistralidade rodoviária. As medidas que nos querem impor apenas garantem receita, não previnem a sinistralidade rodoviária. Não aceitamos que as vítimas da estrada continuem a ser usadas para justificar a implementação de medidas que em nada se relacionam com a prevenção da causa dos sinistros”, lê-se no documento.

Numa nota enviada à imprensa o Grupo de Ação Motociclista sublinha que “o Governo, através do Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, anunciou a entrada em vigor das IPO para motociclos a partir de janeiro de 2022”, acrescentando que “mostrando uma falta de sensibilidade política e, sobretudo, um desrespeito enorme por milhares de cidadão que fazem dos motociclos a sua forma de transporte, ganhando em mobilidade e economia nas cidades cada vez mais entupidas de trânsito e em prazer de condução em muitas das belas estradas nacionais que o nosso País oferece”, refere o comunicado.

Em comunicado é possível ler-se ainda que se trata “de mais uma taxa travestida de boa-fé que serve apenas para calar interesses económicos pouco claros. Sim, porque a questão da segurança está bem explícita nas ligações que fornecemos para documentos científicos que provam a ineficácia das inspeções às motos em termos de segurança e redução de sinistralidade. E onde fica provado que apenas 0,3% dos acidentes têm como causa principal o veículo”, completa.

A manifestação realizar-se-á no próximo dia 16 de outubro, pelas 16h0, nos seguintes locais:

  • PORTO – Avenida dos Aliados
  • COIMBRA – Parque do Choupalinho (junto ao Exploratório Centro de Ciência Viva)
  • LISBOA – EXPO (Estacionamento junto à foz do Rio Trancão)
  • FARO – Estacionamento frente ao Estádio do Algarve
  • FUNCHAL – Av. Sá Carneiro
  • PORTO SANTO – Av. Manuel Gregório Pestana Júnior (Praça de Táxis)
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -