0.7 C
Munique
13.5 C
Porto
NacionalPortugal: Decretado novo estado de emergência até 1 de março

Portugal: Decretado novo estado de emergência até 1 de março

Novo estado de emergência inicia-se a 15 de fevereiro e irá prolongar-se até dia 1 de março

Relacionados

Sindicato dos Trabalhadores acusa GNR de Paredes de recusar levantar auto de ocorrência na “Varandas de Sousa”

Na passada sexta-feira, quatro trabalhadoras foram impedidas de cumprir o horário laboral nas instalações da empresa “Varandas de Sousa”, na freguesia de Madalena, no...

Detidos por tráfico de droga no concelho de Amarante ficaram em prisão preventiva

A GNR deteve, na passada quinta-feira, cinco homens e três mulheres no âmbito de tráfico de droga no concelho de Amarante. Após estes terem sido...

Iniciativa Liberal instala-se no concelho de Valongo

Decorreu, na passada quinta-feira, no auditório da Junta de Freguesia de Ermesinde, o plenário fundador do Núcleo Territorial de Valongo pertencente à Iniciativa Liberal,...

O Governo decretou, hoje, anunciado pelo primeiro-ministro, António Costa, um novo estado de emergência. Durante 15 dias, a partir do próximo dia 15 de fevereiro até ao primeiro dia de março, Portugal entrará, novamente, num novo estado de emergência.

“Foram duas semanas difíceis, mas terminaram melhor do que haviam começado”, refere o Presidente da República em declarações ao país, acrescentando que “começaram com números de infeções, de mortos, dos piores da Europa e dos piores do mundo. Pressão elevadíssima nas estruturas da saúde”. A par destas declarações, Marcelo Rebelo de Sousa acrescenta ainda que “os portugueses compreenderam que há atrasos na produção e fornecimento de vacinas, na Europa e em Portugal, e que isso ia impor a partir de abril, vacinar mais e mais depressa para cumprirmos a meta avançada para setembro”.

Para este novo estado, foram acrescentadas novas medidas, desde “limitar o nível de ruído nos prédios, em certos períodos horários, para não perturbar quem está em teletrabalho”, “definir um plano faseado de reabertura das escolas com base em critérios objetivos e respeitando os desígnios de saúde pública” e foi ainda decretado o “fim da proibição da venda de livros nos supermercados”.

Até lá, as restantes medidas já decretadas, permanecerão em vigor.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido