DestaqueConcelhia do PS de Paços de Ferreira afastada das eleições autárquicas

Concelhia do PS de Paços de Ferreira afastada das eleições autárquicas

Relacionados

Paredes: Dois homens com antecedentes detidos por roubo

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal de Penafiel deteve, no passado dia 12 de junho, dois homens de 28...

Santo Tirso: Câmara Municipal alvo de buscas pela PJ

A Polícia Judiciária do Porto realizou, na passada quarta-feira, dia 12 de junho, buscas na Câmara Municipal de Santo Tirso e em três empresas...

AD e PS dividem vitórias nos Concelhos da Região do Tâmega e Sousa

A população europeia, foi, no passado dia 09 de junho, chamada a votar para eleger os assentos no Parlamento Europeu. Na região do Tâmega...

A Presidente do PS de Paços de Ferreira, Armanda Fernandez, avançou com um esclarecimento por parte da concelhia do PS de Paços de Ferreira, relativo ao afastamento em que o partido se encontra face às eleições autárquicas.

Neste sentido, a Concelhia do PS de Paços de Ferreira afirma “que apesar do afastamento imposto por uma inusitada e infundada avocação, e da assunção de todo o processo eleitoral autárquico por parte de um restrito grupo de seguidores do PS, Humberto Brito – situação corroborada pela Federação Distrital do PS Porto – nunca se escudou a participar do apoio e afirmação dos princípios e valores do Partido Socialista, sublimando os interesses da maior força política nacional”.

No comunicado avançado, é ainda explicado que estes nunca “foram convidados pela direção de campanha eleitoral autárquica do PS, nem envolvidos em qualquer atividade, pelo contrário, temos vindo a ser expurgados das mesmas”. A partir destas afirmações, a concelhia do partido enfatiza que, independentemente do resultado a verificar no dia 26 de setembro, “merecerá a consequente reação e responsabilização dos seus atores, para o bem ou para o mal do futuro do PS de Paços de Ferreira”.

O comunicado acusa a direção de campanha eleitoral do PS de representação de “autoflagelação e dupla vitimização por parte de quem se vê desprovido da possibilidade de vivenciar a democracia no seu concelho”, finaliza a concelhia em comunicado.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -