RegionalParedesJuntos por Paredes refere que associações locais prestam “vassalagem” ao PS

Juntos por Paredes refere que associações locais prestam “vassalagem” ao PS

Relacionados

Cinfães: Homem detido por violência doméstica e posse de arma proibida

Um homem de 59 anos foi detido por posse de diversas armas e munições encontradas durante as diligencias de um processo de violência doméstica,...

Barcelos: Homem é detido depois de agredir policias

Um homem de 37 anos foi, na passada na quarta-feira, dia 17 de abril, detido pelo crime de agressão e injúria contra agentes da...

Santo Tirso: Homem que escondia droga num cofre é detido

A PSP deteve, na passada sexta feira, dia 12 de abril, um homem de 25 anos de idade por suspeita de tráfico de droga...

O Movimento Juntos por Paredes (JPP) avança, em nota, que tem vindo a “denunciar a utilização das associações por parte do Partido Socialista local para propaganda política”, referindo que na apresentação de algumas candidaturas socialistas, alguns dos dirigentes associativos, em nome da associação que representam, apoiam os candidatos do PS.

A utilização das associações do concelho por parte do executivo socialista para autopromoção é considerada, por parte do Movimento Juntos por Paredes, como “imoral”, caracterizando as associações como “um mero instrumento de propaganda eleitoral”. A par desta situação, o partido explica que os “sócios destas mesmas associações, livres de pertencerem a qualquer partido, certamente não se reveem nestes comportamentos”.

Em nota, o Movimento Juntos por Paredes avança que “nenhuma associação deve nada ao autarca A ou B por lhe ter sido concedido algo que advém do dinheiro público”, considerando que “as autarquias devem ajudar os movimentos associativos, valorizando o seu contributo para a nossa sociedade”.

O Movimento JPP considera ser necessário “olhar para todas as associações de forma equitativa”, referindo não as querer de “joelhos, a pedir, como se de uma esmola se tratasse” e evidenciado que as valorizará “ajudando-as de acordo com os recursos disponíveis e não pela ‘vassalagem’ prestada”.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -