DestaqueProjeto de 10 milhões em Gondomar pertence à multinacional Metyis

Projeto de 10 milhões em Gondomar pertence à multinacional Metyis

Relacionados

Cinfães: Homem detido por violência doméstica e posse de arma proibida

Um homem de 59 anos foi detido por posse de diversas armas e munições encontradas durante as diligencias de um processo de violência doméstica,...

Barcelos: Homem é detido depois de agredir policias

Um homem de 37 anos foi, na passada na quarta-feira, dia 17 de abril, detido pelo crime de agressão e injúria contra agentes da...

Santo Tirso: Homem que escondia droga num cofre é detido

A PSP deteve, na passada sexta feira, dia 12 de abril, um homem de 25 anos de idade por suspeita de tráfico de droga...

Na passada terça-feira, em São Cosme, freguesia pertencente ao concelho de Gondomar, foi realizado um evento de apresentação da Metyis, uma empresa multinacional que optou por se localizar no concelho de Gondomar.

A Metyis é uma empresa desenvolvedora de soluções digitais, de data, e-commerce e serviços tecnológicos que irá investir dez milhões de euros, numa primeira fase, num centro tecnológico, oferecendo a oportunidade de criação de mais de mil postos de emprego de trabalho direto qualificado.

De acordo com nota da Metyis, o CEO da Metyis, Yogen Singh, avançou que “O Metyis Campus é um investimento físico e também um investimento na construção de um conceito de empresa e na criação de iniciativas entre as pessoas que trabalham na Metyis e a comunidade”.

Fotografia EMISSOR

O CEO da Metyis avançou ainda que a “intenção é que todos os que entram no campus experienciem uma partilha de conhecimentos, experiências e culturas. Acreditamos que o Metyis Campus é um projeto que dará resposta às necessidades dos nossos clientes a nível global”, referiu.

O projeto da obra foi desenhado pela UNUM, uma oficina de projetos de arquitetura portuguesa, sob a alçada do arquiteto Miguel Ibraim da Rocha.

Fotografia EMISSOR

No que diz respeito a realização do projeto pedido pela Metyis, Miguel Ibraim da Rocha referiu que “nas primeiras reuniões de trabalho que tivemos com a Metyis, nomeadamente com o CEO Yogen Singh, percebemos a importância dada ao ambiente construído e ao não construído ou espaço “natureza envolvente”. Também como referência surgem as lógicas Vastu e Vaastu na Arquitetura que remete para uma ciência milenar sobre o ambiente construído que explica, por exemplo, a orientação e a organização de todos os elementos modificados pela ação do homem.”

Neste sentido, o arquiteto acrescentou ainda que “as vivências também assumem um carácter importante em todo o projeto com destaque na procura pela escala humana, um ambiente de trabalho sempre muito interligado com o espaço natureza exterior, grande transparência e espaços multidisciplinares de apropriação”.

“Os princípios do projeto são esses e pretendem elevar o tipo de vivência e bem-estar de quem lá irá trabalhar, melhorar o modo como cada pessoa possa desempenhar de forma feliz e bem-sucedida o seu trabalho”, conclui o arquiteto.

O evento contou, também, com a presença do Presidente da Câmara de Gondomar, Marco Martins.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -