21.3 C
Munique
19.9 C
Porto
RegionalSapadores florestais do Tâmega e Sousa limparam 250 hectares de floresta em...

Sapadores florestais do Tâmega e Sousa limparam 250 hectares de floresta em 2020

Relacionados

Penafiel – Apreensão de armas ilegais

No âmbito de uma denúncia por ameaças com recurso a armas de fogo, no dia 3 de julho, os militares da guarda do posto...

Cerimónia de comemoração dos 91 anos da instituição em Paços de Ferreira brindada com medalha por serviços distintos de Grau Ouro

Zeferino Barbosa, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Paços de Ferreira (AHBVPF), recebeu a medalha por serviços distintos de Grau Ouro da...

Amarante – Detido por posse de arma proibida

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de Amarante, hoje, dia 30 de junho, deteve um homem de 23 anos por posse...

Desenvolvidos em estreita articulação com os Gabinetes Técnicos Florestais dos 11 municípios que integram a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) e com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), decorreram, em todos os municípios, intervenções florestais em prol da diminuição de riscos de incêndio. Os trabalhos, realizaram-se sobretudo nas áreas com maior vulnerabilidade, correspondendo a manchas florestais ou pela sua proximidade a estas.

As Brigadas de Sapadores Florestais da CIM do Tâmega e Sousa, em 2020, intervencionaram cerca de 250 hectares, destes, 200 estiveram a cargo da primeira Brigada, constituída a partir de 2019, as restantes 50 da segunda, formada em junho do ano passado, adianta nota do CIM do Tâmega e Sousa.

De acordo com a mesma fonte, as “ações de silvicultura preventiva destaca-se a intervenção com fogo controlado em cerca de 65 hectares da serra de Matos, em Baião, dando assim cumprimento ao Plano Nacional de Fogo Controlado definido para essa rede primária”.

A ação foi executada pela primeira Brigada de Sapadores Florestais, participante, também, no projeto piloto do Mecanismo de Apoio à Realização de Queimadas (MARQ), em parceria com a Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais (AGIF), o ICNF 3 o Município de Cinfães “que procura sensibilizar e apoiar os pastores na realização de queimadas em áreas de silvopastorícia e contribuir para a redução da área ardida de forma desregulada durante o verão”, adianta nota.

O projeto em questão, decorreu na serra de Montemuro, em Cinfães, onde se queimaram, de forma controlada, cerca de 20 hectares de área de pastoreio. A primeira Brigada de Sapadores Florestais participou em 20 ações de combate a incêndios e de rescaldo, nos concelhos de Baião, Cinfães, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira e Penafiel.

No contexto florestal do Tâmega e Sousa, em 2019, foi criada a primeira Brigada de Sapadores Florestais e, em junho do ano passado, a segunda Brigada, lideradas por um engenheiro florestal, “num total de 30 operacionais, e a constituição do Gabinete Técnico Florestal Intermunicipal do Tâmega e Sousa, também em 2019”, refere nota.

A área da atuação das Brigadas de Sapadores Florestais estende-se pelos 11 municípios integrantes na CIM do Tâmega e Sousa, de acordo com a própria, “em consonância com os objetivos definidos, a nível municipal, nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios e, a nível nacional, na Estratégia Nacional para as Florestas e no Plano Nacional de Gestão Integrada de Fogos Rurais”. Tanto as brigadas como o Gabinete Técnico Florestal Intermunicipal do Tâmega e Sousa são cofinanciados pelo ICNF, através do Fundo Florestal Permanente.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido