29.6 C
Munique
22.8 C
Porto
RegionalDurão Barroso afirma que as farmacêuticas deveriam acabar com a pandemia ao...

Durão Barroso afirma que as farmacêuticas deveriam acabar com a pandemia ao invés de ganhar mais dinheiro

Relacionados

Paredes – Detido por ameaças com arma de fogo

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de Lordelo, no dia 7 de agosto, deteve um homem de 52 anos por ameaças...

Paços de Ferreira – Assembleia Municipal

- COMUNICADO - Membros da Assembleia Municipal de Paços de Ferreira do PSD No passado dia 4 de agosto, em plena Assembleia Municipal Extraordinária, solicitamos que...

Paços de Ferreira – COMUNICADO PSD “Indesculpável e inaceitável”

- COMUNICADO - Indesculpável e inaceitável qualquer erro de comunicação Hoje, ficou claro que o PSD de Paços de Ferreira nunca recebeu do Presidente da Câmara...

De acordo com o Jornal de Negócios, já foram avançadas as considerações de Durão Barroso, presidente da Aliança Global para as Vacinas, face à situação atual existente entre a vacinação e os interesses das farmacêuticas portuguesas. Durão Barroso acredita que “os fabricantes devem comprometer-se a ajudar a acabar com a fase aguda da pandemia e isso significa trabalhar diretamente com a Covax [plataforma internacional de distribuição equitativa de vacinas] em vez de buscar maiores ganhos financeiros por meio de acordos bilaterais.

O presidente da Aliança Global para as Vacinas foi ainda questionado acerca da escassez de vacinas que está, de momento, a afetar vários países, devido às limitações de produção, ao que Durão Barroso afirma ser necessário “investir na capacidade de manufatura nesses mesmos países e apoiar o seu fabrico por meio de acordos de transferência de tecnologia”.

A Covax é liderada pelo Aliança Global para as Vacinas (GAVI), pela Organização Mundial de Saúde e pela coligação CEPI. Em declarações à Lusa, o Jornal Económico avança que Durão Barroso referiu que “além, obviamente, da grande divergência entre os interesses em jogo, [a abertura da propriedade intelectual para vacinas] não leva em consideração a complexidade do seu desenvolvimento científico e tecnológico, que geralmente envolve milhares de etapas e um grande ‘know-how’”, impossibilitando a fabricação por produtores de genéricos.

Durão Barroso alertou ainda a industria farmacêutica para as mutações do vírus, adiantando que “parece cada vez mais claro que os fabricantes poderão ter que se ajustar à evolução viral, incluindo, potencialmente, o fornecimento de futuras doses de reforço”, evidenciando ainda a necessidade de acesso equitativo às vacinas, uma vez que, quanto mais o vírus se espalhar, não existindo um controlo, maiores serão as oportunidade dele sofrer mutações, existência de reinfeções e novos surtos de pandemia, conclui.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido